As marcas boas de bola do Sul

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Estudo da BDO revela que dupla Grenal tem as grifes mais valiosas da região 

thumbnail_1444334915

Nem vitórias nem gols feitos. O que vale para ficar no topo da tabela do levantamento da consultoria BDO é o valor da marca. Na oitava edição do estudo, informações de 30 clubes brasileiros foram avaliadas, inclusive as dos principais da região Sul: Grêmio, Internacional, Atlético Paranaense, Coritiba, Paraná, Figueirense, Criciúma e Avaí (confira a tabela completa ao final desta reportagem. Os time do Sul estão destacados em negrito). O valor da grife foi calculado tendo como base dados de 2014. Além disso, 21 variáveis que contemplam índices financeiros, ações de marketing, participação dos torcedores e o mercado no qual os clubes atuam também fizeram parte do cálculo.

Os clubes do Rio Grande do Sul são os únicos presentes no Top Ten com maior valor de marca no ranking que é liderado pelo Flamengo. Do Sul, o melhor colocado é o Grêmio, na quinta posição com R$ 590,1 milhões. O Internacional vem logo em seguida com R$ 580,7 milhões. Ambos mantiveram a mesma colocação do levantamento do ano passado. O Atlético Paranaense ultrapassou o rival Coritiba neste ano e é o 13º clube com a marca mais valiosa do Brasil, com R$ 146,8 milhões. A marca do Coxa (14º) é estimada em R$ 141,2 milhões. Os times do Sul voltam a aparecer no ranking com o Figueirense (20ª posição), Criciúma (21ª), Avaí (22ª) e Paraná (28ª).

Segundo a BDO, os clubes brasileiros estão demonstrado maior variação de fontes de renda. O levantamento não leva em consideração a receita dos clubes com transferência de jogadores, mas somente a advinda de marketing, estádio, sócios e mídia. Na avaliação da consultoria especializada em contabilidade e auditoria, as melhorias nos estádios realizadas para a Copa do Mundo em 2014 permitiram o aumento da presença dos torcedores e do ticket médio dos ingressos. Além disso, os clubes têm percebido o potencial da marca e da relação com o torcedor como geradores de receita. No ano passado, por exemplo, os times analisados aumentaram em 25% o número de sócios.

Disputas estaduais

Nesta edição da pesquisa, a BDO também analisou o desempenho financeiro dos clubes por estado. Em cinco anos, o endividamento dos representantes do Paraná cresceu 604%. Apesar de aumentarem a receita em 134% no mesmo período, Atlético e Coritiba (o Paraná Clube não é considerado nesta seção) também gastaram mais com o departamento de futebol, cujas despesas avançaram 110%.

Os times de Santa Catarina (incluindo o Joinville, não presente entre as marcas de maior valor) estão mais endividados do que há quatro anos. Entre 2011 e 2014, as receitas e as despesas aumentaram na mesma proporção (33%). O Criciúma alcançou a maior receita no ano passado (R$ 43,2 milhões) enquanto o Figueirense foi quem gastou mais com o futebol (R$ 37,7 milhões). Somente o Avaí apresentou déficit em 2014 (-R$ 8,3 milhões).

No Rio Grande do Sul, nos últimos cinco anos, a dupla Grenal aumentou 41% as receitas, mas também gastou 50% a mais com o futebol. Os dois fecharam 2014 com um déficit de R$ 80,6 milhões, o maior valor desde 2010.

Confira o ranking.

Posição Clube de futebol Valor da Marca (em R$ milhões)
1 Flamengo 1.243,70
2 Corinthians 1.241,40
3 São Paulo 878,1
4 Palmeiras 651,2
5 Grêmio 590,1
6 Internacional 580,7
7 Cruzeiro 512,2
8 Santos 404,6
9 Atlético Mineiro 394,8
10 Vasco da Gama 359,3
11 Fluminense 256,0
12 Botafogo 209,3
13 Atlético Paranaense 146,8
14 Coritiba 141,2
15 Bahia 102,5
16 Sport 87,4
17 Vitória 78,5
18 Goiás 63,7
19 Portuguesa 58,4
20 Figueirense 51,2
21 Criciúma 40,5
22 Avaí 39,5
23 Náutico 36,4
24 Ponte Preta 35,5
25 Santa Cruz 32,9
26 Guarani 19,1
27 Ceará 19,0
28 Paraná 18,8
29 Atlético Goianense 17,6
30 Fortaleza 13,4

Fonte: Revista Amanhã

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone