7 passos para empresas reduzirem a emissão de gases do efeito estufa

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Os acordos internacionais sobre as mudanças do clima visam à redução das emissões dos gases do efeito estufa, uma tarefa que exige o compromisso de todos. Os guias Estratégias Corporativas de Baixo Carbono, produzidos pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostram o caminho para empresas dos setores elétrico e eletrônico, de tecidos e confecções, de produtos de limpeza e de mineração participarem do combate ao aquecimento global. Confira os passos básicos:

 

1. Medir as emissões de gases de efeito estufa
Por meio de um diagnóstico detalhado, é possível verificar a quantidade total e a evolução das emissões e os principais tipos de gases emitidos em operações diretas e indiretas de uma empresa.

lupa no planeta 1

 

2. Avaliar riscos
Entender o grau de exposição de cada empresa aos riscos de emissões dos gases de efeito estufa é fundamental para a gestão de baixo carbono. Entre os principais riscos estão os regulatórios, os físicos, os reputacionais e os financeiros. As incertezas dos regulamentos novos, a falta de regulamentação e os acordos internacionais estão entre os riscos regulatórios. Os físicos são os possíveis impactos de eventos naturais nos negócios, como, por exemplo, a mudança de disponibilidade de água e energia sobre as operações de fábricas. Já os riscos reputacionais estão relacionados à maior atenção dos consumidores em relação às iniciativas de redução de emissões. Os financeiros, por sua vez, estão relacionados aos demais riscos já que todos geram, de alguma forma, custos adicionais ou perdas financeiras para as empresas.

cálculos financeiros 2

 

3. Identificar as oportunidades
As oportunidades associadas às mudanças climáticas podem ser identificadas juntamente com a avaliação de riscos de emissões dos gases de efeito estufa. Um exemplo é o elevado consumo de energia, que contribui para as emissões de gases de efeito estufa. Mas, por outro lado, pode levar empresas a encontrar oportunidades em projetos de eficiência energética, com retorno positivo dos investimentos.

energia oportunidades

 

4. Desenvolver a gestão de carbono
A gestão estratégica de carbono cria valor aos negócios por meio da implementação eficaz de medidas de redução de riscos e o melhor aproveitamento de oportunidades.

gráfico

 

5. Estabelecer metas
É importante avaliar o potencial de redução de emissões, bem como a viabilidade técnica e econômico-financeira. Com esse mapeamento, as empresas podem estabelecer metas de redução de emissões coerentes com o potencial de redução e recursos humanos e financeiros que está disposta a alocar.

Metas

 

6. Divulgar ações e resultados
Divulgar resultados ajuda a empresa a capitalizar suas ações, dar transparência e reconhecer iniciativas de redução de emissões de gases de efeito estufa. A divulgação pode ser realizada em diversos canais, como website e relatórios de sustentabilidade.

relatório de sustentabilidade 6

 

7. Engajar acionistas e outros públicos
O engajamento de públicos estratégicos, como acionistas, funcionários e clientes é fundamental para que as partes influentes ou influenciadas pelas atividades da organização estejam alinhadas com os princípios envolvidos na gestão da empresa, gerando colaboração e reduzindo incertezas nos processos decisórios.

Públicos

Fonte: Estratégias Corporativas de Baixo Carbono, CNI (2015)

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone