Busca por propósito maior que o lucro é marca da boa liderança

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

lucro

Os mais de 1,5 mil participantes concentrados em torno dos líderes presentes na Maratona Valor PME 2014, no início do mês, em São Paulo, puderam acompanhar de perto a trajetória, as dicas e a experiência de alguns dos nomes mais destacados do cenário corporativo nacional, como Abílio Diniz, presidente do Conselho de Administração da BRF e ex-presidente do Grupo Pão de Açúcar, Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, e Sônia Hess, presidente da Dudalina.

Em um só dia, empresários, dirigentes e executivos compartilharam dez horas de conteúdo, distribuídas em 16 apresentações, além da possibilidade de trocar ideias entre si em network diverso e qualificado.

Apesar da predominância de empresas do setor de serviços (41% dos inscritos) e de 80% dos participantes serem de São Paulo, estiveram representados mais de uma dúzia de segmentos econômicos, de 15 Estados. Entre os inscritos, 39% apresentaram-se como CEO, presidente ou sócio e mais de 36%, como vice-presidente ou diretor. Além disso, programa atraiu empresas de todos os portes: 40% delas com menos de 50 funcionários, 25% com equipe entre 50 e 200 funcionários e o restante com mais de 200 empregados.

O tom das palestras também animou a audiência. De modo geral, os 13 líderes que contaram suas histórias apresentaram confiança nos fundamentos econômicos do país e visão de futuro otimista, principalmente devido aos bons resultados registrados nos últimos anos. Sem deixar de lado preocupações como Custo Brasil, dificuldades na infraestrutura e logística e à necessidade de maior retorno à sociedade dos valores entregues aos governos em tributos, preferiram destacar a necessidade do empresário se concentrar em elementos como valores pessoais, diferenciais de negócios e investimentos em produtividade para avançar nos negócios.

“Temos razão em exigir mais do governo, mas em vez de nos queixarmos temos de pensar no que podemos fazer para ajudar o país. Neste momento, temos de olhar para o aumento da produtividade, para que nossas empresas sejam mais eficientes, competitivas e, consequentemente, mais lucrativas”, defendeu Abílio Diniz. Para ele, o pequeno empresário deve antes de tudo buscar seus diferenciais e vai encontrá-los quando identificar para a empresa um propósito maior que o seu próprio lucro, estabelecer e reconhecer a cultura da organização – que se traduz e se espelha nas pessoas que dela fazem parte – e assumir a atitude de liderança consciente.

Além disso, ele observou que sua trajetória empresarial foi marcada pela força dos valores pessoais como humildade, paixão, disciplina e equilíbrio emocional, e ideais, como os cuidados com o corpo, traduzidos pela prática de atividades físicas e alimentação saudável; com as emoções, com controle de estresse e auto-conhecimento; e com sentimentos mais elevados, como amor, religiosidade e fé. Os valores, diz, é o que você consegue passar para a empresa. “Quando saí do Pão de Açúcar não foi fácil, deixei para trás uma tremenda empresa, com 160 mil pessoas, um enorme conjunto de lojas e ativos. Mas o verdadeiro Pão de Açúcar são os valores e a cultura que estão lá dentro, é o DNA da empresa. E este DNA é meu.”

Guilherme Paulus, sócio-fundador e presidente do conselho de administração da CVC, compartilha com Abílio Diniz a opinião sobre o amor como semente de sucesso empresarial. “É ter amor por tudo que você já tem, não só pelo que aspira”, sugere Diniz. “Acordar cedo, trabalhar, transpirar e amar o que faz, mesmo sendo um empregado, é o segredo do sucesso”, ressalta Paulus.

 

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone