SAP fortalece presença no Sul

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

sap-frente-foto-350

Não foi preciso sequer um ano para que o anúncio de investimento de R$ 60 milhões na expansão do SAP Labs Latin America se tornasse realidade. A multinacional alemã inaugurou nesta segunda-feira (2) o segundo prédio do seu centro de pesquisa, localizado em São Leopoldo, na Grande Porto Alegre. Abrigado no Tecnosinos (Centro Tecnológico da Universidade Vale do Rio do Sinos), a nova estrutura é uma amostra do quanto o mercado brasileiro, e especificamente a região sul, tem gerado bons frutos para a empresa.

Desde 2006, quando foi inaugurada, a subsidiária brasileira tem crescido, em média, 120% ao ano. Stefan Wagner, presidente do SAP Labs Latin America, ressalta que o centro situado no sul do país é o único na América Latina de propriedade da SAP. “Os demais locais onde estamos presente são todos alugados. Isso mostra nosso compromisso com a região”, exalta. Neste ano, a empresa também fortaleceu sua presença no sul fechando acordos com clientes locais de Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, como é o caso da Stara, C. Vale e Tigre. A conquista de terreno do Paraná para baixo se potencializou desde janeiro quando a SAP iniciou um processo de regionalização e foram criadas diretorias comerciais focadas no sul, centro-oeste e nordeste e interior de São Paulo exatamente para promover as vendas.

Para Diego Dzodan, presidente da SAP para a região sul da América Latina (Southern Latin America – SoLA), a regionalização é um ponto importante para que a empresa consiga aumentar sua participação no mercado brasileiro, onde a companhia tem uma carteira de 4.500 clientes. “Não temos braços para atingir todo mundo, por isso nossas distribuidoras são fundamentais”, diz. Segundo Dzodan, a vinda para o Brasil facilitou o acesso das pequenas e médias empresas aos produtos de TI e representa um campo enorme a ser explorado para a SAP. “Existem 400 mil empresas que poderiam ser beneficiadas pelas soluções, mas somente 50 mil utilizam alguma ferramenta de TI. O potencial é enorme”, avalia.

Próximo alvo: setor público

Desde sua chegada ao Brasil, em 2006, a SAP tem desenvolvido soluções específicas para o mercado brasileiro. Na avaliação de Dzodan, o software da nota fiscal eletrônica foi a principal ferramenta criada no laboratório brasileiro. As peculiaridades da tributação no país também instigaram o desenvolvimento do Tax Management, que auxilia as empresas nos processos de gestão fiscal. Forte personagem na economia do Brasil, o agronegócio acabou também por virar um setor importante a receber soluções de TI, colaborando no gerenciamento de compra e venda e disponibilidade de grãos.

No entanto, a SAP tem depositado grandes expectativas em outro cliente: o setor público. Ainda pouco representativo, os governos devem ganhar espaço nos próximos três anos na lista de clientes da multinacional. “A expectativa é chegar a dois dígitos”, conta Dzodan, sem revelar números exatos. O Rio de Janeiro já conta com soluções da multinacional para o diagnóstico de criminalidade no município. Segundo Dzodan, as ferramentas disponíveis são bastantes diversificadas e podem ser utilizadas desde a coleta de informações sobre a população até para a desburocratização de processos obrigatórios as quais se submetem os cidadãos.

Fonte: Laura D’Angelo / Revista Amanhã
Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone