Desconfio de quem não gosta de jazz

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

blues

Jazz ou blues? O que você está escutando? Está certo. Você tem razão. Tem muita gente boa também na música brasileira, mas fico preocupado – e não consigo entender – qual a razão de que o que está no ar é música muito ruim, enquanto que músicos de talento, grandes instrumentistas, são ilustres desconhecidos ou ignorados por grande parte da mídia.

Paulo Moura, por exemplo, ainda é um grande desconhecido, mesmo sendo um dos maiores clarinetistas do seu tempo. Ele também tocava muito bem sax, foi compositor e arranjador (1932 – 2010). Seguramente um dos maiores instrumentistas do mundo. Ele esteve algumas vezes em Porto Alegre e tocou inclusive com Yamandu, no Santander Cultural. Era um show de lançamento do cd em conjunto. Pouco antes de morrer, o músico teve ainda tempo para gravar algumas músicas que acompanham o livro Paulo Moura, um solo brasileiro, um bom presente para quem gosta de boa música.

Acho que dá para se iniciar uma ideia de uma pessoa também de acordo com o seu gosto musical. Dá para se avaliar um pouco até uma cidade. Comecei a simpatizar com Canoas (RS) depois que a cidade inventou um Festival de Jazz que toma conta das suas ruas e praças, prestigiando músicos daqui e de fora. Forço a barra e lembro New Orleans.

Assim como Guaíba, outra cidade gaúcha, que diante de Porto Alegre e com a rapidez do catamarã, lembra Staten Island, com seu casario, história e povo pacato. Nas águas não tem a música mas a poesia e beleza da travessia do Guaíba.

Duas grandes idéias: arte e mobilidade. Nada de outro mundo, nem a roda inventada. Ousadia, vontade e parcerias.

Inácio Knapp

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone