HHhH

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

 

Imagem1O título deste artigo refere-se ao livro HHhH, de Laurent Binet, vencedor do prêmio Gongourt 2010. As quatro letras significam Himmlers Hirn heisst Heydrich, ou seja: O cérebro de Himmler se chama Heydrich.

Reinhardt Heydrich era o número dois na hierarquia da temida SS, além de comandar a GESTAPO. Era o homem mais perigoso do ministério de Hitler sendo temido por todos e detestado por muitos. Em sua carreira meteórica dentro do Partido Nacional Socialista, Heydrich foi o responsável pela elaboração da Solução Final, um dos mais cruéis planos de extermínio de judeus, ciganos, comunistas, homossexuais e outras etnias ou grupos sociais que destoavam dos cânones nacionais socialistas referentes à raça ariana.

O livro de Binet foi escrito para resgatar a memória de dois obscuros sargentos do exército tchecoslovaco, Jan Kubis e Jozef Gabcik, sem dúvida os mais discretos heróis do século XX. Após a invasão de sua pátria eles fugiram pela fronteira da Polônia até alcançar a França. Lutaram junto à Legião estrangeira  e após a invasão do país buscaram refúgio na Inglaterra. Junto com outros compatriotas receberam treinamento do exército britânico a fim de combater o nazismo através dos movimentos de resistência.

Imagem2

Jan Kubis e Jozef Gabcik

Heydrich havia substituído o barão Konstantin von Neurath como Líder do Protetorado da Boêmia e da Morávia (atual República Tcheca) e passou a administrar com mão de ferro o território recentemente incorporado ao III Reich.

Prisões em massa, torturas e execuções sumárias passaram a integrar o cotidiano dos habitantes da capital, que apelidaram seu novo senhor de O carrasco de Praga.

Imagem3

Reinhardt Heydrich

Com a finalidade de atingir o governo alemão, o serviço secreto britânico idealizou um atentado contra um de seus mais expressivos líderes, e Heydrich foi o escolhido. Kubis de origem tcheca e Gabcik natural da Eslováquia se voluntariaram para a ação.

No final de dezembro de 1941 eles saltaram de paraquedas nas proximidades de Praga, para darem início à sua missão. Durante cinco meses fizeram contato com membros da resistência local, bem como o reconhecimento do terreno para a realização do atentado. Como nunca haviam estado em Praga houve necessidade de se familiarizarem com as ruas e bairros da cidade.

No dia 26 de maio de 1942, véspera do atentado,  Reinhardt Heydrich foi com a esposa ao Palácio Wallenstein para assistir ao concerto inaugural da Semana Musical de Praga. Ele está muito orgulhoso, pois programou para este evento a execução do Concerto para piano em dó menor, de Richard Bruno Heydrich.

O pai do Carrasco de Praga, falecido em 1938, foi um compositor cujas obras tiveram alguma repercussão no cenário musical, especialmente em Leipzig e Dresden. Ele iniciou sua carreira como contrabaixista da Orquestra da Corte de Dresden. A seguir cantou como tenor em algumas óperas. Após decidir que sua vocação era a de compositor, Bruno Heydrich dedicou-se com afinco à nova carreira. Deixou um legado de 83 obras, entre elas algumas óperas ao estilo wagneriano, quartetos e trios para cordas, várias canções tradicionais (lieder), várias peças orquestrais onde destacamos sua Sinfonia em ré maior. Bruno Heydrich fundou o Conservatório de Música da cidade de Halle an der Saale, local onde nasceu o primogênito Reinhardt Tristan Heydrich. Este aprendeu violino durante a infância e manteve a prática deste instrumento até sua morte.

O atentado contra o Gauleiter da Morávia e da Boêmia ocorreu na manhã do dia 28 de maio de 1942 e recomendamos aos leitores interessados no desfecho desta história que leiam o livro HHhH.

Seu autor não apenas nos apresenta com fidedignidade a realidade histórica deste episódio, bem como durante sua obra nos coloca frente às dificuldades do autor em não ceder ao auxílio da ficção para tornar mais simples a arte de reconstruir a história. O livro de Laurent Binet já está disponível na versão em português, edição da Companhia das Letras.

Como o teclado de meu computador não possui os sinais característicos usados na grafia tchecoslovaca coloquei os nomes de Kubis e Gabcik sem a acentuação original, motivo pelo qual peço a compreensão dos leitores.

Clique aqui para assistir ao lieder Abschied de Bruno Heydrich, interpretado no salão nobre do Palácio Wallenstein, mesmo local onde ocorreu o concerto de 26 de maio de 1942. Neste pequeno filme do lieder aparece foto de Reinhardt Heydrich com a esposa assistindo ao concerto

Assinatura e_mail

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone