A cidade que eu quero viver

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

donkybike01

Gostaria muito de ver um fabricante de automóveis no Brasil recomendar o uso de bicicleta aos fins-de-semana. Acredito que é missão das montadoras  entrar também nos debates sobre mobilidade urbana. 

É claro que não existe uma solução única ou fácil para a mobilidade urbana. Temos que encontrar um ponto de harmonia entre as soluções que possam surgir.

A cidade que eu quero viver não tem excesso de carros nas ruas.

Assim são os inúmeros desafios que se apresentam as cidades do Rio Grande do Sul. São problemas complexos. Como afirma o dinamarquês Martin Brynskov, doutor em ciência da computação e professor do Centro de Tecnologia da Informação Participativa da Universidade de Aarhus (Dinamarca), “as cidades devem se repensar como redes. E isso inclui o governo. Diferentes perspectivas andando juntas. Essa é uma transformação cultural”. Todas as partes devem sentar e procurar respostas e ações para as questões de saúde, educação, segurança e infraestrutura, por exemplo. Todos devem cooperar. Desse modo deve ser. Como diz o professor, a razão pela qual essa rede é necessária é porque ela é possível.

A cidade que eu quero viver trabalha problemas e soluções em conjunto.

E também deve se pensar bem lá adiante de como queremos o lugar que sonhamos para viver, como nos mostra a Agenda 2020. Projetos, ideias e objetivos de longo prazo.

A cidade que eu quero viver pensa o futuro.

Se nós queremos ver o Rio Grande do Sul crescer e prosperar,  teremos que fazer a nossa parte. É sério. E nada fácil. Em primeiro lugar, sair da nossa zona de conforto e demonstrar nossa indignação com desmandos e irresponsabilidades.

bamgoo021

 

 

 

 

 

Se a empresa ajudou na ciclovia, talvez possa  testar a bicicleta para entrega de pequenos ranchos

 

A frase do escritor Oscar Wilde cabe no momento: uma ideia que não seja perigosa não merece ser chamada de ideia.

A cidade que eu quero viver deve ser arrojada e criativa.

E segura.

Com calçadas bonitas e muitas árvores.

E vizinhos.

E generosa e solidária.

E bem educada.

É pedir demais?

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone