Os voluntariados

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

voluntariado

Apesar do final de ano ser um sinônimo de solidariedade, por que não falar sobre trabalho voluntário durante o ano todo? É claro que fazer doações e visitas a entidades carentes é sempre válido – como de costume em datas comemorativas. Porém, o artigo de hoje é sobre trabalhos voluntários profissionais e estruturados.

O trabalho voluntário não é remunerado, mas certas ONGs oferecem remuneração para alguns cargos – na maioria das vezes o salário não é dos mais atraentes. Entretanto, o trabalho de interesse social e comunitário oferece outros benefícios que, como dizem, o dinheiro não compra.

É graças a organizações sem fins lucrativos e profissionais voluntários que inúmeras comunidades têm acesso a educação, lazer e saúde, suprindo o insuficiente investimento do governo. Por isso, é uma profissão de muito prestígio, afinal se doa ao próximo, recebendo nada ou muito pouco por isso em prol de um mundo mais justo.

O que poucas pessoas entendem é que ONGs precisam de profissionais das mais diversas áreas. Afinal, necessitam de alguém para administrar, de alguém para recrutar novos profissionais voluntários, de uma equipe de suporte, etc. Pode ser voluntário, mas o trabalho deve ser organizado para que os objetivos sejam atingidos. Dessa forma, qualquer um pode participar de programas voluntários ou colaborar com uma ONG, por exemplo.

Profissionalmente, o indivíduo que possui alguma forma de trabalho voluntário no currículo é muito bem visto pelo mercado. Isso ocorre por diversos motivos. Primeiramente porque as empresas estão cada vez mais preocupadas com a sustentabilidade, não só ambiental, mas também social. Dessa forma, profissionais que já trabalharam como voluntários fazem com que as ideias sustentáveis saiam do papel e comecem a ser praticadas efetivamente nas empresas.

Além disso, o indivíduo revela habilidade para trabalhar em equipe, já que enxerga as pessoas e seus potenciais com outros olhos – o que é um ponto forte, levando em consideração a importância do bom relacionamento interpessoal no ambiente corporativo atual.

O profissional voluntário também aprende a lidar com recursos escassos e pouca verba, podendo ser um bom gestor em situações de crise ou mesmo versátil para abrir novos espaços no mercado.

Como se inscrever para um trabalho voluntário

Se você está interessado, a minha primeira recomendação é que pesquise muito bem sobre a instituição ou ONG que deseja trabalhar. Existem inúmeras no país com diversas abordagens, entretanto é preciso verificar a seriedade e profissionalismo do trabalho. Afinal, o que você não precisa é trabalhar voluntariamente num lugar onde os objetivos não são levados a sério ou, pior, há desvio de doações.

Após feita a pesquisa, basta se inscrever. A maioria dessas organizações possuem website com página de cadastro, o que facilita muito. Entretanto, se esse não for o caso, nada que um telefonema não esclareça as dúvidas.

Há também como ser um profissional voluntário no exterior. Organizações como o Rotary International e o Serviço Voluntário Internacional do Brasil possuem atuação em diversos países.

Termino esse artigo reforçando a importância do trabalho voluntário não só para o crescimento profissional, mas principalmente o da comunidade. É um trabalho que faz com que o indivíduo se lembre do significado de humanidade, solidariedade e cidadania.

____________________________________________________________________________________

Artigo originalmente publicado na newsletter da Revista Amanhã.

O autor Bernt Entschev é presidente da De Bernt Entschev Human Capital e também atua como conselheiro de diversas instituições.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone