Queremos que algo seja feito em conjunto

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Gosto muito do escritor Richard Sennett. Ele é autor de livros como O artífice, Autoridade, Respeito, A cultura do novo capitalismo, A corrosão do caráter e também do que estou lendo agora, chamado Juntos – Os rituais, os prazeres e a política da cooperação. Em seus livros, fala muito de valores, ética, o manual, a cooperação. Na conclusão deste seu trabalho mais recente, Richard Sennett afirma que a falta de entendimento recíproco não nos deve impedir de nos relacionar com os outros; queremos que algo seja feito em conjunto.

Refletindo sobre isso, penso em como ainda temos muito a aprender. Vejo os eternos conflitos mundo afora. São partidos que não se entendem, tribos que se odeiam e corporações que não largam o poder.

E essa vontade de realizar algo em conjunto é muito forte. Desde as mais simples, como um abaixo-assinado na comunidade buscando melhores condições de vida para o bairro como até o movimento Agenda 2020, que deseja um Rio Grande do Sul muito melhor para nossos filhos e netos.

Posso ser sonhador mas não acredito no você-está-entregue-a-si-mesmo ou no nós-contra-eles.

Richard Sennett está certo: os brutais simplificadores da modernidade podem reprimir ou distorcer nossa capacidade de viver juntos, mas não eliminam nem podem eliminar essa capacidade. Como animais sociais, somos capazes de cooperar mais profundamente do que imagina a atual ordem social.

Inácio Knapp

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone