A solidariedade nova-iorquina

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone
A economia do compartilhamento ganhou um novo empurrão na semana de escassez de eletricidade e água em Nova York.
Lojas que tinham gerador próprio colocaram extensões de tomadas até na calçada para que as pessoas pudessem recarregar o celular.
Empresas anunciaram pelo Twitter a possibilidade de emprestar mesas e estações de trabalho a colegas que não podiam trabalhar nas regiões afetadas pelo blecaute, como Soho, Lower East Side, Village, Union Square, Tribeca e Distrito Financeiro.
A rede de academias New York Sports Club abriu todas as suas unidades aos nova-iorquinos que precisassem tomar banho ou carregar o celular– era só mostrar um documento de identidade. Várias concorrentes seguiram o exemplo depois.
Corais de artistas se revezavam em Times Square, cantando trechos de musicais famosos, para arrecadar fundos para a Cruz Vermelha.
Crianças, que tradicionalmente coletam doces no Halloween, usaram sacolas para arrecadar doações aos desabrigados.
De forma supreendente, alguns taxistas e lojas não estavam “faturando” com a necessidade. Em esquema de lotação, taxistas cobravam até menos com mais passageiros, assim como lojas mantiveram os preços mesmo com a escassez.
Jovens fortes
Há também a preocupação com idosos e pessoas com mobilidade reduzida. Desde quinta-feira, a polícia de Nova York começou a subir andar por andar nos prédios residenciais mais altos na zona sul de Manhattan, que estavam sem luz e sem sinal de celular desde segunda-feira.
O temor é de que essas pessoas estivessem sem conseguir sair de casa e sem ter como pedir socorro durante o longo blecaute.
A prefeitura fez campanha pelo Twitter para que “jovens nova-iorquinos saudáveis e fortes” ajudassem a distribuir água e comida pronta a quem estivesse preso nos andares mais altos.
A luz voltou no East Village na noite de anteontem e estava prometido o retorno ontem em bairros como Chelsea, Village e Tribeca.
Metrô e ônibus estavam voltando de acordo com o retorno da energia elétrica. Os ônibus operaram com catraca livre até a noite de sexta.
Carros policiais improvisavam iluminação com faróis bem acesos nas áreas de blecaute.
Fonte: Raul Juste Lores / Folha de S.Paulo

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone