Orchester der Klangverwaltung

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

 

 

Porto Alegre terá a oportunidade de assistir pela primeira vez a Orchester der Klangverwaltung, fundada em 1977. Ela já é consagrada na Alemanha, onde sob o comando do maestro Enoch zu Guttenberg, tem se apresentado com regularidade no Schleswig-Holstein-Musik-Festival, no Rheingau Festival, no Teatro dos Festivais de Baden-Baden e na Ópera de Frankfurt. A maioria de seus músicos também participa das Filarmônicas de Viena e Berlim, bem como da Orquestra Filarmônica de Munich.

O concerto em nossa capital terá lugar no dia 4 de outubro, às 21 horas, no Teatro do SESI. Recentemente tive a oportunidade de constatar como nossas produtoras de eventos musicais, em especial de música erudita, trabalham de uma forma primitiva, para não dizer amadorística.

 

Maestro Enoch zu Guttenberg

Em meados de setembro, num sábado fui comprar os ingressos num tradicional Centro de Compras de nossa cidade. Primeira decepção: cheguei lá pelas 13 horas e fui informado que as bilheterias somente seriam abertas a partir das 14 horas. Fui almoçar e ao retornar encontrei uma enorme fila, já que naquela data iniciavam-se as vendas de ingressos para um espetáculo infantil. Após meia hora de espera, ao ser atendido pela vendedora, quis saber o repertório do concerto. Já tomara conhecimento pela imprensa, de que seriam executadas sinfonias de Haydn e Bruckner, mas desconhecia quais delas seriam as escolhidas. A vendedora disse que não tinha a informação e me recomendou ir para casa e buscar os dados pela internet. Ante minha negativa, ela foi se informar no escritório de vendas. Após dez minutos de espera, ela retornou com a brilhante informação: o concerto será de música clássica ou de ópera. Reafirmei minha decisão de não arredar pé da bilheteria, antes de receber a informação correta. Decorridos mais 15 minutos, ela chegou com o programa, copiado de um site da Web. Nele especificava-se a execução da Sinfonia nº 104 em Ré Maior de Haydn e da Sinfonia nº 5 em Si Maior de Anton Bruckner. Não debito culpa na esforçada profissional, cuja função é vender ingressos e receber o pagamento. Entretanto, seus superiores e organizadores do evento deveriam disponibilizar aos funcionários, o programa de tão importante concerto, cujos preços são bastante “salgados”. Após o registro, passamos a comentar as duas obras que serão apresentadas pela Orchester der Klangsverwaltung.

Sinfonia nº 104, em Ré Maior, de Joseph Haydn – Durante suas temporadas na Inglaterra, Haydn compôs um ciclo de sinfonias denominadas londrinas. A primeira é a Sinfonia nº 93 em Ré Maior, composta em 1791. O ciclo foi encerrado em 1795 com a Sinfonia nº 104, denominada Londres. Esta foi a última sinfonia, escrita por Haydn e com esta obra ele consagrou a forma sinfônica que o fez imortal. Ela tem início com um Adagio, seguido de um Allegro cuja intensidade cresce no decorrer do movimento. O Andante é sereno, até ser sacudido por uma explosão sonora da orquestra. O vigoroso Minueto se desenvolve até chegar a um amoroso Trio e o Finale, marcado spiritoso tem um sabor folclórico trabalhado sobre um único tema.

Sinfonia nº 5, em Si Maior de Anton Bruckner – A Sinfonia nº 5 é um marco culminante no primeiro período criativo deste compositor, o auge de suas realizações como compositor sinfônico.

Alguns críticos chegam a considerar a sexta, a sétima e a oitava sinfonias, como um período de retiro criativo, antes de encetar a composição de sua nona sinfonia, que mesmo inacabada nos traz o ápice de todo seu processo criativo.

Bruckner compôs sua 5ª sinfonia entre fevereiro de 1875 e a completou em janeiro de 1878. Ele nunca teve a oportunidade de escutá-la. Seus alunos Franz Schalk e Ferdinand Löwe organizaram duas estreias, sendo que na primeira a obra foi executada em dois pianos. A segunda apresentação, com orquestra, ocorreu em Budapest, em dezembro de 1895.

Schalk e Löwe mutilaram a obra de Bruckner, encurtando alguns movimentos e introduzindo novos acordes. Apenas em 1935, o musicólogo Robert Haas, trabalhou sobre as partituras originais, depositadas na Biblioteca Musical de Viena. A obra que escutaremos aqui em Porto Alegre, é na versão Haas, baseada em partitura original e autografada por Bruckner.

 

Clique aqui para assistir a Sinfonia nº 104, de Haydn:

 

Clique aqui para assistir a 5ª Sinfonia de Bruckner, com Claudio Abbado:

torelly@polors.com.br

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone