Veemência necessária

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Acredito que o foco de querer vencer, de obstinação que vi no olhar da judoca Sarah Menezes, logo no início das provas da brasileira em Londres, faz falta generalizada e em grande quantidade no Brasil. Essa concentração que alguns atletas e treinadores conseguem, essa dedicação que algumas pessoas têm com suas causas e projetos no Brasil, como a Diza Gonzaga, do Vida Urgente aqui em Porto Alegre, nós deveríamos ter em relação a uma melhor educação, a reformas estruturais necessárias pra o desenvolvimento do País e até para com o metrô de Porto Alegre, como lembrou a jornalista Rosane de Oliveira, quando escreve que em mais de 10 meses nada aconteceu de novo nessa história tão antiga da cidade e que faltou a veemência necessária por parte das forças políticas gaúchas. É da jornalista a expressão veemência necessária, muito bem colocada no texto.

A verdade é que deixamos de manifestar a veemência necessária em tantas ocasiões e episódios no Brasil que já perdi a conta. Ficamos de braços cruzados. Mas teremos ainda muitas oportunidades pela frente para demonstrarmos com energia, vigor e inteligência o nosso desejo ou até mesmo a nossa repulsa por comportamentos e atitudes inadequadas de governantes, políticos e empresas.

Aliás, faz muito tempo que não vejo arrojo, vivacidade e ânimo nos políticos brasileiros. Nem credibilidade. Como confiar? Eles não acreditam no próprio discurso. Os eleitores também não. Falta entusiasmo, alegria. Alma? Nem pensar.

Autor: Inácio Knapp.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone