Senai lança Institutos de Inovação para “criar o futuro”

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Vovô da formação profissional no Brasil, o Sistema Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) se permitiu uma ousadia ao anunciar a criação de 23 institutos de inovação no Brasil – cinco deles no Sul – com a promessa de “criar o futuro”. Em comunicado, a própria entidade reconhece que se trata de uma aposta pretensiosa, mas garante que é real.  “O Senai nasceu com o propósito de servir às indústrias em suas demandas por formação profissional especializada. Para isso, precisou também estar à frente e dominar informação tecnológica. É natural que agora dirija-se para o caminho da inovação, configurando-se como referencial para pesquisa e desenvolvimento”, justifica Heitor José Müller, presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), vinculada ao sistema CNI, que abarca o SENAI.

Os 23 institutos Senai de Inovação (ISI), lançados para assinalar os 70 anos de fundação do Senai,  deverão estar instalados até 2014.  O Paraná contará com um instituto de inovação especializado em eletroquímica. “Será instalado em Curitiba e todo estruturado a partir de agora. O prazo de conclusão está dentro do cronograma nacional”, garante Sônia Parolin, gerente de Serviços Técnicos e Tecnológicos do SENAI/PR. Segundo ela, as definições de investimento ainda não estão abertas.

Em Santa Catarina, a capital Florianópolis receberá dois centros de desenvolvimento. Um deles, destinado a pesquisas de Inovação em Laser. O outro, estudará tecnologias de Segurança Integrada. “Nós temos algumas dificuldades no Brasil relacionadas a leis trabalhistas, juros e infraestrutura que nos tornam menos competitivos. A forma de as empresas enfrentarem a concorrência externa é a inovação, que ajuda a compensar as deficiências do país”, acredita Sérgio Roberto Arruda, diretor regional do SENAI/SC.

No Rio Grande do Sul, estão previstos mais dois institutos de inovação – ambos na cidade de São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre. É lá que serão instalados o Centro Tecnológico de Polímeros Senai (Cetepo), especializado na tecnologia da borracha, plástico, adesivos e espumas, e o Centro Tecnológico de Mecânica de Precisão (Cetemp),  voltado às áreas de metal-mecânica, siderurgia, petroquímica, celulose e eletroeletrônica. “O exercício de antever as mudanças tecnológicas já é uma prática no Senai. Afinal, precisa-se de atualização para que nossas aulas atendam às demandas das indústrias que nos procuram”, afirma José Zortéa, diretor regional do Senai/RS.

Elisabeth Urban, diretora de Educação e Tecnologia do Sistema FIERGS, acredita que com a criação dos insitutos o Senai atenda a necessidade da indústria de ampliar a prática da inovação. “As duas unidades do Rio Grande do Sul significam que a indústria gaúcha e brasileira terão um importante aliado para a solução de problemas complexos, substituição de importações, agregação de valor aos seus produtos e para o desenvolvimento de novos produtos e processos, o que resultará no aumento de competitividade no mercado nacional e internacional”, analisa.

Em âmbito nacional, o projeto conta com importantes parceiros. O SENAI selou acordo para receber a colaboração de especialistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT), dos Estados Unidos, e da Sociedade Fraunhofer, da Alemanha. Especialistas das duas instituições irão colaborar para a instalação das unidades.  “O MIT tem atuação muito forte no desenvolvimento de tecnologias para empresas. Contaremos com a sua experiência para montar e qualificar os nossos projetos”, destaca Rafael Lucchesi, diretor de Tecnologia e Educação da Confederação Nacional da Indústria e diretor-geral do SENAI no país. O investimento na parceria será de US$ 180 mil anuais para todo o projeto – recursos que serão utilizados, inclusive, no intercâmbio de profissionais. “Com essa aproximação, no futuro teremos um ambiente favorável para trabalhos conjuntos entre a nossa equipe e o MIT”, destacou Lucchesi.

Fonte: Pedro Pereira / Revista Amanhã.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone