Bocherini e Cimarosa

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

Luigi Bocherini (1743-1805)

Bocherini nasceu e foi educado em Lucca, na Itália e morreu na pobreza em Madri, na Espanha, país que escolheu como segundo lar. Lamentavelmente a fama do compositor, nos tempos atuais, repousa exclusivamente em seu agradável minueto, conhecido como Minueto de Bocherini, que se encontra em seu Quarteto de Cordas em Mi Maior, op. 13/5. O cinema inglês, através do filme O Quinteto da Morte (The Lady Killers – 1955), com Alec Guiness, Herbert Lom e Peter Sellers, projetou mundialmente o minueto, cuja música desempenha papel especial nesta comédia policialesca.

Mas esta é apenas uma de suas grandes obras. Existem cerca de cem quartetos para cordas entre suas 500 composições instrumentais. A música de Bocherini, que encantou os salões da aristocracia, possui toques maliciosos e o tempero espanhol que ele introduziu em algumas partituras.

Entre a grande legião de músicos do século XVIII, dedicados à forma sonata, Bocherini ocupa uma posição menor que a dos grandes mestres. Entretanto, admiradores da música de câmara clássica podem deliciar-se por muitas horas apreciando o trabalho deste afável e sensitivo compositor.

Clique aqui para escutar o Minueto de Bocherini:

 

 

Domenico Cimarosa (1749-1801)

Cimarosa nasceu em Nápoles e passou a ser admirado como o compositor que escreveu 60 óperas, todas elas do gosto do público. Sua obra mais importante foi Il Matrimonio Segreto (O matrimônio secreto), escrita em 1792. Esta ópera, desde sua estreia, foi levada ao palco durante cem noites consecutivas. Haydn interpretou a música de Cimarosa no Palácio Esterházy. Goethe traduziu a ópera para o alemão e fez com que ela fosse encenada em Weimar. Rossini não se cansava de cantar as principais árias e Catarina da Rússia outorgou à Cimarosa o título de Compositor de Câmera. Além das óperas, o músico escreveu dezenas de alegres sonatas. Damos especial destaque para seu Concerto para Oboé em Dó Maior. Mas o melhor do estilo deste compositor estava na comédia. Ele pode ser considerado um dos mestres do estilo opera buffa. A primeira produção de Il Matrimonio foi produzida em Viena, algumas semanas após a morte de Mozart.

Clique aqui para escutar o movimento Allegro giusto do Concerto para Oboé e Orquestra de Domenico Cimarosa:

 

torelly@polors.com.br

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone