PGQP: seriedade e eficiência

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

“O principal ganho com a eficiência nos setores público e privado é aquele sentido pelo cidadão”, afirmou o presidente do Conselho Superior do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), Jorge Gerdau Johannpeter, em encontro recente em Porto Alegre que reuniu lideranças da entidade, empresariais e governamentais do Rio Grande do Sul.  Ao comentar a apresentação de resultados de 2011 do PGQP, Gerdau destacou a importância do trabalho do Programa para a consolidação do Rio Grande do Sul como um estado competitivo e que é referência em qualidade da gestão. “Construímos uma cultura de encarar com seriedade a eficiência, muitas empresas daqui e projetos desenvolvidos com órgãos públicos são destaque nacional neste aspecto. Mas além de registrar as grandes conquistas, nosso desafio é continuar com essa vitalidade para fazer novas façanhas”, estimulou Gerdau lembrando os 20 anos do Programa, que serão comemorados em 2012. 

Para o próximo ano, o PGQP projeta impulsionar ainda mais as iniciativas pela excelência da gestão, entre empresas privadas, órgãos públicos e terceiro setor, com as metas de dobrar o número de adesões e aplicar instrumentos dos seus Sistemas de Avaliação em 10 mil organizações. O empresário, principal liderança do movimento criado em 1992, ainda lembrou o pioneirismo do Programa no incentivo à inovação e a sua capacidade de mobilização. Em 2011, o PGQP ampliou a estrutura para atender qualquer empresa ou organização que queira um diagnóstico de seus processos, independente do estágio da gestão. O SAGS – Sistema de Avaliação da Gestão Simplificado facilitou o caminho de quem está em fase inicial na busca pela excelência; cerca de 600 empresas já estão utilizando a ferramenta. E a primeira edição do Prêmio Inovação PGQP, que utiliza a metodologia pioneira no Brasil do SAGRI – Sistema de Avaliação da Gestão e Resultados da Inovação, criou um ambiente mais propício ao desenvolvimento de processos inovadores, reconhecendo empresas que se destacam na geração de ideias que apresentem soluções e transformações positivas para o gerenciamento interno. O Programa encerra o ano registrando mais de 9,5 mil organizações com Termo de Adesão. “Ainda há muito para avançar no Brasil, mas conquistar cada vez mais pessoas para a causa Qualidade é o principal feito. O exemplo do PGQP é estimulante: temos uma rede de 15 mil agentes multiplicadores, atuando, principalmente, com trabalho voluntário e 1,3 milhão de pessoas envolvidas”, apontou Gerdau. Para o presidente do Conselho Diretor do PGQP, Ricardo Felizzola, 2011 foi um ano em a entidade fortaleceu a vocação de gerar conhecimento em gestão com foco na sustentabilidade, buscando abranger todos os setores da sociedade. “Consolidado como um patrimônio dos gaúchos, o grande objetivo do PGQP é contribuir para o avanço do nosso Estado pela melhoria da qualidade de vida de todos. Nesse sentido, se destacam as parcerias no setor público, especialmente nas áreas da saúde e educação, e com muitas empresas e entidades do interior, por meio do incansável trabalho dos Comitês Regionais”. Felizzola também ressaltou o papel fundamental do PGQP como a organização de reconhecimento da excelência em gestão, que anualmente avalia a distingue os melhores nesta área no Rio Grande do Sul. Durante o evento, representantes do Tribunal de Justiça RS, Governo do Estado RS, Prefeitura de Porto Alegre e Justiça Federal do RS apresentaram resultados dos projetos pela melhoria da gestão desenvolvidos por meio de parcerias com o PGQP. Também houve assinatura do protocolo de intenções para firmar convênio com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) na área de pesquisa e desenvolvimento de gestão, competitividade e inovação.   Recordes e inovações em 2011Além de ativar a operação dos dois novos produtos, lançados no final de 2010, – SAGS (Sistema de Avaliação da Gestão Simplificado) e SAGRI (Sistema de Avaliação da Gestão e Resultados da Inovação), este ano o PGQP bateu recordes realizando o maior evento do mundo na área da qualidade. Mais de 8,5 mil estiveram na FIERGS, em julho, para o 12º. Congresso Internacional de Gestão, Feira de Resultados e 16ª edição do Prêmio Qualidade RS, considerado o “Oscar da Qualidade”, que agraciou 147 organizações. Os números de inscrições (207) e de premiados são os maiores na história deste reconhecimento. Na ocasião, também houve a entrega do 1º Prêmio Inovação PGQP. Quatro organizações gaúchas mereceram distinção pelas maiores pontuações em dimensões do campo da inovação avaliadas. Considerando a Reunião da Qualidade, Workshops, Showcases e ações de capacitação dos Comitês Regionais, cerca de 17 mil pessoas participaram dos grandes eventos do PGQP em 2011, marca que também ultrapassou resultados dos anos anteriores. Outro feito muito significativo foi a formação do 80º Comitê da entidade, instalado em Venâncio Aires no mês de março.

Gestão Pública

Na área pública, entre os destaques estão as renovações para novas fases de ação com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre e o Governo do Estado. Além disso, continuam em andamento os projetos de Melhoria da Gestão com o Tribunal de Justiça do RS, a Justiça Federal do RS e a Prefeitura de Pelotas, entre outros.  Os principais objetivos são aumentar a capacidade de arrecadação,  racionalizar gastos e capacitar servidores para maximizar a eficiência e melhorar a relação entre a qualidade e o custo dos serviços colocados à disposição do público.

O Tribunal de Justiça do RS, por exemplo, que estabeleceu a parceria em 2008, estruturou este ano um Programa de Virtualização Processual que está representando um marco na história do Poder Judiciário em nível nacional. O aumento da celeridade processual, da segurança das informações e redução dos impactos ambientais são alguns dos benefícios. Considerando todas as ações, os dados deste convênio apontam economia de quase R$ 130 milhões ao órgão. Além disso, foi possível reduzir em 30% o estoque de processos. Já o projeto com a Justiça Federal do RS representou, até setembro de 2011, um ganho de R$ 1,72 milhão no regime de caixa. E a Prefeitura de Pelotas, que tem como um dos focos otimizar o Gerenciamento Matricial de Receitas, obteve crescimento nominal de 12,86%, até o último mês de setembro, com a arrecadação própria (ISSQN, IPTU, ITBI e Dívida Ativa).

Somando todas as frentes de atuação, o PGQP já gerou R$ 6,3 Bi para R$ 58,5 Mi de recursos investidos (Executivo, Legislativo e Judiciário) em projetos de Modernização da Gestão Pública que participou, a partir da otimização dos processos em cada setor, desde 2005. Isso significa um retorno de R$ 108,00 para cada R$ 1,00 investido entre cerca de 600 adesões na área pública desenvolvidas através de convênios ou termos de cooperação técnica no Rio Grande do Sul.


Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone